Print E-mail
banner_rio_gualdim

 

 

Biblioteca Nacional de Portugal

Serviço de Actividades Culturais

Campo Grande, 83

1749-081 Lisboa

Portugal

 

 

 

Informações

Serviço de Relações Públicas
Tel. 21 798 21 68

Fax 21 798 21 38
This e-mail address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it

 

 

Mostra

No mar estava escrita uma Cidade… 450 anos da fundação do Rio de Janeiro

 

 


«A cidade (Rio de Janeiro) tem uma baía que bem parece que a pintou o supremo pintor e arquiteto do mundo novo Deus Nosso Senhor...»

CONFERÊNCIA | 29 jun. '15 | 18h00 | Auditório BNP | Entrada livre

É com esta significativa admiração que o Padre Fernão Cardim (1548-1549/1625) apresenta a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, onde chegara nos finais do ano de 1584.

Eminente figura da Companhia de Jesus permaneceu no Brasil durante cerca de 42 anos. Nesse território, onde chegou, como Secretário do Padre Visitador Cristóvão de Gouveia, em 1583, Cardim foi Reitor dos Colégios da Bahia e do Rio de Janeiro e Provincial do Brasil da Companhia de Jesus, cargo que desempenhou entre 1604 e 1609. Numa viagem de Roma para o Brasil, em 1601, foi capturado por corsários ingleses, despojado dos seus textos e levado para Inglaterra onde esteve prisioneiro durante cerca de dois anos.

A descrição da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, é um dos textos do Manuscrito incluído num Códice que se encontra na Biblioteca Pública de Évora e que faz parte da Mostra dedicada à comemoração dos 450 anos da fundação da cidade do Rio de Janeiro. Textos que têm uma “história” muito interessante e que se mantiveram inéditos durante séculos, só vindo a ser, parcialmente, divulgados em língua portuguesa em 1847. Alguns destes textos foram publicados em inglês, em 1625, mas atribuídos erradamente a um outro autor.

Os textos do Padre Fernão Cardim não poderão deixar de ocupar o lugar que lhes é devido no contexto humanista português, a par de outros autores quinhentistas e seiscentistas que procuraram transmitir o encontro de povos e culturas.

Contemporâneo, de outras importantes figuras da Companhia de Jesus, como José de Anchieta, Fernão Cardim foi mestre do Padre António Vieira.

Ana Maria de Azevedo é licenciada em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde obteve o grau de mestre em História e Cultura do Brasil, com uma dissertação sobre a vida e obra do Padre Fernão Cardim e onde lecionou, como convidada, a disciplina de História do Brasil. As suas principais áreas de investigação têm-se centrado na história da presença portuguesa no Brasil e no encontro de povos e culturas nos séculos XVI e XVII. Proferiu conferências e comunicações sobre temas da História do Brasil e da Didáctica da História, em universidades e instituições culturais portuguesas, brasileiras, norte-americanas, argentinas, espanholas, alemãs, dinamarquesas, entre outras.

Publicou, em Portugal e no estrangeiro, diversas obras e artigos, sendo de destacar: a edição da obra de Fernão Cardim, Tratados da Terra e Gente do Brasil, (1ª ed. 1997 e 2ª ed. 2000); uma edição crítica à Carta de Pêro Vaz de Caminha a El-Rei D. Manuel sobre o Achamento do Brasil (2000); «O Índio brasileiro (o «olhar» quinhentista e seiscentista)», in Condicionantes Culturais da Literatura de Viagens - Estudos e Bibliografias (1999); «Olhares e Imagens da Terra e Gentes Brasílicas em Textos Quinhentistas e Seiscentistas», in Estudos Leopoldenses (1998), Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Rio Grande do Sul.

Comissária Científica, em conjunto com o historiador, Jorge Couto, do “site” temático Viagem dos Portugueses da Biblioteca Nacional de Portugal, no âmbito do Programa Internacional «Bibliotheca Universalis», 2001.